Como incentivar a independência e maturidade do seu filho

Tempo de leitura: 5 minutos

Criar um filho nos tempos atuais e dar independência a ele, não é uma tarefa fácil, entretanto é uma tarefa extremamente necessária.

Dar uma boa educação é primordial para garantir um bom futuro para o seu filho, porém existem coisas que não se aprende somente na escola.

Independência e maturidade são dois exemplos de habilidades cognitivas que você pode começar a trabalhar desde cedo.

Afinal de contas, é bem melhor ele aprender isso em casa do que quando estiver passando por alguma dificuldade na vida adulta.

Por me preocupar com o futuro da minha filha, como você também se preocupa com o das suas crianças, eu decidi criar este artigo.

Nas linhas abaixo você vai descobrir algumas técnicas e rotinas que podem ser implementadas hoje mesmo na vida do seu filho para que ele crie independência e maturidade desde cedo.

Tudo isso vai fazer com que ele se torne uma pessoa com:

  • Mais poder de decisão;
  • Responsabilidade;
  • Criatividade;
  • Capacidade para aprender habilidades mais complexas, na vida adulta;
  • Sabedoria para resolver problemas e dilemas da vida madura.

Poder de decisão

Filha nos ombros do seu pai, demonstrando independência

O poder de decisão é a base da autonomia de qualquer ser humano. Logo, incentivar isso desde pequeno é importante para definir personalidade, gostos e preferências.

Existem diversas maneiras de fazer com que as crianças comecem a exercitar seu poder de decisão…

A principal delas é deixando que seu filho participe de pequenas escolhas durante o seu dia-a-dia.

No começo, deixar que escolha qual fruta quer comer ou qual alimento deseja colocar no prato pode ser um bom pontapé inicial.

Com o passar do tempo, deixe que ele comece a escolher as próprias roupas, os livros que você irá ler para ele e por aí vai.

Enquanto ele é mais novo, você deve limitar as opções a no máximo duas ou três a fim de evitar que ele fique confuso com as coisas.

Porém, conforme a idade for aumentando é preciso aumentar o leque até que ele possa, de fato, decidir mesmo sem nenhuma opção.

Claro que nem sempre as escolhas serão as melhores, mas é importante deixar que ele as faça para conhecer as consequências de suas decisões.

Ebook 3 simples passos para evitar as birras, disponível para download.

Nestes momentos, também, é importante não “atacar” a criança, mas sim aconselhar e explicar por que determinada decisão foi errada e apontar o caminho certo. Esse é o primeiro passo para que ele vá desenvolvendo a sua maturidade, já na primeira infância.

Autoconfiança e independência

Garota vestida de super-herói com o braço para cima.

Saber do que é capaz e principalmente o que não consegue fazer é o melhor caminho para se criar a independência.

É com base nisso que a criança irá desenvolver uma boa saúde emocional, além de conseguir se virar sozinha quando for necessário.

As atividades nesse sentido podem começar logo quando eles ainda são bebês, colocando-os de bruços na cama e deixando que se esforcem para alcançar algum brinquedo.

Outro exercício muito importante é deixar com que eles conheçam e explorem o ambiente a sua volta.

Deixar que brinquem e toquem na terra, na areia, na grama é importante para ele conheça o mundo do seu próprio jeito.

Com o passar do tempo, você passa a dar algumas tarefas pontuais para que ele faça sozinho, como vestir a própria roupa, guardar a roupa suja no cesto, guardar os brinquedos, jogar o lixo no lixo, etc.

Essas pequenas atividades fazem com que eles aprendam coisas novas e, também, descubram qual é a melhor maneira de fazer isso do seu próprio jeito.

E quando algo der errado nesse processo, é fundamental que você corrija o que ele errou e não a maneira como ele é.

Por exemplo, muitos pais – quando a criança erra – costumam dizer: você não sabe fazer isso. Quando o correto seria dizer: isso se faz de tal maneira e não desta.

Assim, você mostra que acredita no potencial do seu filho. Mostra que o erro não é parte ou exclusividade dele, mas sim do processo.

Ao culpar a criança e não o método, você começa a minar a autoconfiança deles, destruindo aos poucos qualquer chance de se tornar um adulto independente.

Persistência e maturidade

Garoto flexionando o seu braço demonstrando força e maturidade

Estimular a persistência é um bom caminho tanto para conquistar independência, quanto maturidade.

Quando eles são bebês, permita que caiam e tentem caminhar de novo. Faz parte da vida, cair e levantar.

Estimule que ele continue tentando e tentando até conseguir caminhar e, mais para frente, correr, pular, subir, etc.

Com o passar do tempo, você pode começar a conversar sobre como as coisas dão errado e a importância de tentar outra vez.

Evite fazer algo pelo seu filho que você sabe que ele é capaz de fazer sozinho se continuar se esforçando.

Explique que não ter sucesso uma vez, não significa que ele nunca terá sucesso naquilo!

Essa é a chave para que ele não desista no futuro, principalmente quando as coisas ficarem mais difíceis num emprego ou na faculdade, por exemplo.

Uma coisa que pode ajudar muito nesse sentido é colocá-lo para fazer algum esporte, pois lá ele estará sempre se superando atrás da vitória.

Com uma pequena dose de competitividade saudável, ele vai conseguir entender que tudo na vida depende de esforço e concentração.

Entendendo isso, juntamente com os outros fatores que citei anteriormente, ele será um adulto capaz de se virar sozinho quando você já não puder mais estar presente em todos os momentos.

Conclusão

Mais do que dar amor e carinho, formar um ser humano é capacitá-lo para viver a vida por si só e incentivar a independência e maturidade é o jeito mais seguro para isso.

E todas estas tarefas podem se tornar muito mais fáceis se você tiver um bom diálogo com o seu filho… Por isso, sugiro que você clique aqui e leia o material que preparei sobre como criar esse vínculo tão importante com os pequenos.