A influência da música na rotina das crianças

Tempo de leitura: 6 minutos

Provavelmente você se lembra de alguma música que aprendeu na escolinha, ou então, memorizou de algum desenho que assistia quando era criança. Mas, não é somente nas recordações que a música nos influencia, além de criar memórias, ela ajuda a estimular áreas importantes do cérebro, como a cognição e habilidades como a fala e a coordenação motora.

Da mesma forma, a música também facilita a vida dos pais e educadores na rotina das crianças, seja na hora de se arrumar para ir para a escola ou na hora de fazer uma tarefa importante.

Leia o artigo: “Os benefícios da rotina na vida do seu filho”

As vantagens de introduzir a música na rotina dos seus filhos são diversas, afinal, a musicalização é uma ferramenta que ajuda na expressão de sentimentos, valores culturais e a visão do mundo exterior e seu universo interior.

Desenvolvimento e aprendizado

Criança batendo em panelas, enquanto faz música.

Todas as formas de arte contribuem para o desenvolvimento infantil e a música tem papel especial; a partir do momento em que a criança entra em contato com a música, seu aprendizado se torna mais amplo e desenvolve também sua sensibilidade, comunicação, expressão corporal e socialização. Além disso, estimula a concentração e torna as descobertas do mundo mais prazerosas.

Nesse sentido, uma pesquisa feita na Finlândia afirma que a exposição musical pré-natal induz efeitos neuronais a longo prazo. De acordo com o estudo, os pesquisadores puderam notar que a atividade cerebral das crianças aumentava quando ouviam música.

Após 4 meses do nascimento, eles repetiram o experimento e tiveram o mesmo resultado. Ou seja, crianças expostas a músicas ao longo da gravidez conseguem reconhecer a melodia após o nascimento, isso significa que mesmo no útero, elas podem ter um aprendizado mais acelerado.

Leia o artigo: “O lúdico e a aprendizagem na vida das crianças”.

Brincadeiras cantadas

Criando fazendo uma ciranda enquanto brincando e cantam. Memórias de antigamente.

Geralmente, as atividades com música são as preferidas da criançada. Porém, no século XX não existiam tantos recursos como hoje, por isso, as brincadeiras eram um pouco diferentes. Você se lembra delas?

Batata quente

Em círculo, as crianças devem ouvir a música (que pode ser controlada por um adulto) e passar um para o outro o objeto que representa a batata quente. Enquanto a música estiver tocando, é importante seguir o ritmo e tentar não estar com ela na mão quando a música parar. Se isso acontecer, o participante será eliminado.

Pular corda

Existem várias canções para pular corda, como salada saladinha e suco gelado. A brincadeira precisa que duas pessoas seguram a corda, cada uma em uma ponta, enquanto outra pula. Depois é só escolher a música, mas geralmente a regra é a mesma: quem errar ou tropeçar, troca de posição com quem gira a corda. Ganha quem ficar mais tempo pulando.

Caminhão de laranja

“O caminhão de laranja passou por aqui? Passou!”

Assim começa a brincadeira! Com as mãos fechadas, uma pessoa vai passando batendo nas mãozinhas e cantando a música. Quando outra pessoa responder “quantas laranjas ele deixou cair?” a contagem começa. A mão em que a contagem acabar deve ser escondida. A brincadeira continua até que todos tenham as mãos escondidas. Divertido, né?

Estimulação da memória

Criança ouvindo música de forma a estimular a memória.

Como vimos anteriormente, a música estimula a memória dos bebês em gestação e ainda pode contribuir no desenvolvimento das crianças. Além disso, as crianças que tocam algum instrumento musical tem sua memória em constante estímulo; para afinar o instrumento, por exemplo, é preciso lembrar qual é o tom da nota.

Da mesma forma, usar as músicas na rotina das crianças é uma ótima dica para memorizar tarefas. Um exemplo super divertido é a telessérie Castelo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura, que produziu várias músicas educativas, como “Banho é Bom”, que ensina a importância de lavar todas as partes do corpo, “Lavar as Mãos”, que fala sobre a higiene das mãos antes de comer, e “Escovando os Dentes” que reforça a importância da escovação e do fio dental após as refeições.

Aqui vão algumas sugestões para os pais introduzirem a música na rotina das crianças:

Passeios e viagens de carro

Passeios e viagens de carro são ótimos momentos para se divertir e estimular as crianças durante o trajeto. Faça uma playlist com as músicas favoritas e deixe a alegria tomar conta!

Ebook Segurança nas Redes Sociais, disponível para download

Brinquedos e instrumentos musicais

Brinquedos e instrumentos musicais são ferramentas perfeitas para estimular a audição e coordenação motora das crianças, chocalhos, tambores e guitarras são uma ótima pedida!

Inclusive, criar esses objetos é uma dica para economizar dinheiro e também explorar o lado criativo das crianças. Experimente reutilizar caixas de papelão, latas garrafas pet.

Cantar com a criança

Cantar junto com a criança é uma ótima interação e ainda cria uma memória afetiva. Ou seja, cantar músicas antes ou depois das tarefas, torna as obrigações mais divertidas. A dica é começar o dia cantando para aumentar a disposição e o humor da criança, seja na hora de se vestir, arrumar o material escolar ou tomar o café da manhã. Quem canta seus males espanta!

Concentração e linguagem

Pai e filha cantando na cozinha de sua casa. Rotina tão importante para a educação.

A música tem um poder de envolver e muitas vezes fazer com que as pessoas se concentrem no que estão ouvindo; essa atenção ao som potencializa o poder de concentração.

Além disso, ao ouvir e cantar, as crianças armazenam as palavras e as utilizam no dia a dia, deixando sua linguagem mais abrangente, até mesmo os pequenos que não foram alfabetizados. A música pode aumentar o seu repertório de palavras e fazer com que elas formem frases mais rapidamente.

Sob o mesmo ponto de vista, a dicção também pode ser melhorada por meio da música. Aulas de canto, por exemplo, ajudam na respiração, na entonação da voz e na pronúncia correta das palavras.

Expressão corporal

Criança ouvindo música e dançando em meio ao parte.

Além da fala, o corpo também é um grande ponto de estímulos; a música une o corpo e mente, ativa a sensibilidade e a consciência do corpo, demonstrando seus sentimentos através dele.

Por isso, a dança também é uma forma de expressar os sentimentos, com ela, a criança pode até melhorar comportamentos como a timidez e o sedentarismo.

Conclusão

Acima de tudo, vimos que a música no desenvolvimento infantil é uma parceria que dá super certo. Relacionar a música com a rotina melhora a qualidade de aprendizagem e a motivação da criança. Além disso, ajuda na interação social, no raciocínio e ainda estimula a disciplina.

Por fim, a música ajuda a desenvolver a confiança entre os pais e os filhos, trazendo conforto e segurança emocional.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.