8 maneiras de estabelecer limites para crianças

Tempo de leitura: 6 minutos

Ser pai e mãe não é uma tarefa fácil e por mais que se faça um esforço enorme, é preciso reconhecer, têm horas que todo mundo se pergunta: será que estou fazendo tudo certo?

Veja bem, é quase impossível sermos bons pais sem dedicação e disciplina. Muitas vezes estabelecemos limites para os filhos, não apenas por razões disciplinares, mas também para ajudar a mantê-los seguros e preparados para o mundo.

Por isso, é necessário saber como definir esses limites e colocá-los em prática, ainda que haja resistência da criança.

Pensando nisso, resolvi escrever esse artigos com dicas de como fazer para impor limites na educação dos filhos.

Limites nas relações com os filhos

Mãe impondo limites a filha, que demonstra chateação

O dilema de grande parte dos pais é justamente aceitar que essas imposições são fundamentais para forjar o caráter da criança, assim como ter o controle da situação, não fará de você um carrasco, incapaz de dar amor e repreender ao mesmo tempo.

A rotina de um casal contemporâneo está bem diferente, por exemplo, do que na época dos seus avós, não é verdade? Antigamente o casal tinha muitos filhos e os criava na base da “linha dura”, não havia muito diálogo e o que os pais determinavam virava lei.

Hoje, os dois trabalham, têm menos filhos e muita tecnologia para ajudar ou atrapalhar na distração dos pequenos.

O sentimento de culpa pela ausência, muitas vezes, faz com que os pais sejam muito transigentes, o que resulta em um mimo exagerado, e consequentemente, acabam perdendo o controle da situação.

O mais interessante é que muitos pais estão procurando ajuda de profissionais para lidarem com seu filho, ou seja, buscam mecanismo para consertar aquilo que eles mesmos são responsáveis”, pontua a pedagoga especializada em Educação Infantil, Sílvia Helena Duarte.

Quando as crianças são amadas e valorizadas, na medida certa e livres de qualquer culpa dos seus pais, elas acabam se tornando mais dispostas a aceitar correções

Os limites podem mostrar ao seu filho, o que é certo e o que não é, desta forma, forçando os mesmos a aprenderem a ter autocontrole e disciplina.

Ebook 3 simples passos para evitar as birras, disponível para download

A medida que a sua criança cresce, maior será o desafio e conforme a idade avança, mais seu comportamento muda!

Seja forte para dizer “não” com frequência durante esta etapa. Argumente de forma clara o porquê dele não poder agir daquele jeito. A criança, no entanto, não pode achar que está negociando com você.

Se você quiser dicas de como dizer “não” para seus filhos, clique aqui para ler este artigo.

A importância dos limites na vida das crianças

Garoto sem limites, fazendo careta e mostrando a língua

Mas então, por que os limites são tão importantes?

Limites é uma importante parte do processo de amadurecimento, e eles podem até não gostar, mas se sentirão seguros e protegidos posteriormente. Os pais devem seguir com esse propósito até o fim, sem ceder as chantagens emocionais dos filhos.

Se estiver para fraquejar, lembre-se que pode até parecer duro em um primeiro momento, mas os resultados valerão a pena a longo prazo.

“Os pais estão criando filhos engessados, crianças que não se frustram, que não sabem o que é perder, ou seja, adultos privando os filhos de amadurecerem e subtraindo dos pequenos, a oportunidade de exercitarem a autonomia. Infelizmente, com estas atitudes, provavelmente tornarão adultos impulsivos, frustrados, com dificuldades nas tomadas de decisões, fracassados e possivelmente depressivos”, sentencia Duarte.

A pedagoga também afirma que as regras devem começar desde cedo, já no primeiro ano de vida do bebê!

É natural que os pais estejam mais preocupados com o bem-estar dos filhos, do que propriamente com a condição de impor limites, mas a profissional salienta que é imprescindível que os adultos entendam que “limites”, vai muito além de promover o bem-estar da criança, ele é parte fundamental do início do processo da educação.

E que, portanto, desde o primeiro ano de vida, a criança consegue compreender que existem regras através da maneira como os pais falam e também por meio da expressão corporal do adulto. Tanto a fala quanto os gestos terão que estar em sintonia, para que os pequenos entendam o que é não e o que é sim.

Bom, você já notou que a receita para que seu filho não seja um adulto indisciplinado e problemático, depende de você! Será necessário ter disposição para seguir cada fase.

Um caminho para estabelecer limites

Mãe conversando com a filha, que esta sentada na mesa

Para te guiar nessa jornada, aqui estão as 8 maneiras para estabelecer limites para crianças. Use-as como achar melhor e adapte as suas necessidades e realidade.

1. Exerça sua autoridade

Seus filhos precisam saber que você é a autoridade máxima dentro e fora de casa. Explique os motivos das novas regras com sabedoria e jamais negocie isso com a criança.

2. Mantenha constância

Assim que definir as regras e estabelecer os limites para o seu filho, o próximo passo é manter a sua palavra e constância. Acredite, não será legal na percepção do seu filho, se você ficar mudando constantemente as regras do jogo!

3. Envolva a família nesse novo contexto

Una toda a família em prol desse objetivo. Faça uma reunião familiar e certifique-se de que todos estão comprometidos.

4. Divulgue as regras

Nada de burocracia, calma! Em tom de brincadeira faça um contrato com as crianças e assegure que elas assinem, isso é uma forma lúdica que fará com que elas sintam-se parte desse novo acordo.

5. Documente essa fase

Coloque cópias das regras em pontos estratégicos da sua casa. Mais uma vez se faz necessário reforçar, não se trata de um modelo repressor e sim uma nova perspectiva de comportamento, que vai unir ainda mais a família.

6. Reconheça o cumprimento das regras

O ser humano gosta de ser reconhecido, está inerente à sua personalidade. Parabenize e incentive seus filhos a cada acerto.

7. Nunca desautorize o seu parceiro(a)

Nada de “fale com sua mãe” ou vice-versa, combinado? O casal precisa estar em sintonia para manter a decisão juntos pelo bem-estar da criança. Desautorizar a ordem que foi dada pelo seu parceiro(a), pode causar confusão na cabeça da criança, além de ser muito prejudicial para sua educação.

8. Não desista, seja persistente!

Dificuldades aparecerão a todo momento, mantenha-se firme! Assegure que os limites e regras estabelecidas se adequém ao quotidiano da família.

E aí, gostou das nossas dicas? Se você tem algum assunto que gostaria de saber mais, entre em contato e sugira uma matéria. Teremos o prazer de desvendar os mistérios do universo das crianças.