Como evitar as cólicas

Tempo de leitura: 6 minutos

Lidar com as cólicas do bebê nunca foi uma tarefa fácil para os pais, ainda mais para os pais de primeira viagem que estão cheios de dúvidas e insegurança.

Tudo é muito recente para eles e a falta de conhecimento é mais comum do que se imagina. É muito fácil ficar desorientado nessa hora!

Decidi escrever sobre esse assunto, pois estive recentemente com um casal de amigos que acabaram de ter um filho, e vê-los nessa situação me fez relembrar as noites que a minha filha chorava com dores e eu não sabia o que fazer para acalmá-la.

Além da minha experiência pessoal, resolvi buscar referências de profissionais e estudos na área com o único intuito de trazer um olhar mais amplo sobre o assunto e uma experiência ainda mais significativa para você.

Posso te afirmar com convicção que a maioria dos pais já passou ou ainda vão passar por essa experiência algum dia e cabe a você estar preparado!

Como identificar se o seu bebê tem ou não cólica?


Se o seu filho anda chorando constantemente ao longo do dia ou da noite e se nenhum dos seus esforços parece consolá-lo, é possível que ele esteja sofrendo de cólicas.

Mas calma, antes de se precipitar é preciso que você verifique e valide essa possibilidade!

Certifique-se primeiro que seu filho não está com fome e ao amamentá-lo observe se o seu leite está saindo normalmente. O importante é conferir se o seu filho está se alimentando corretamente.

Verifique também se o bem-estar do seu filho está sendo atendido, ou seja, verificar se a fralda não está suja, se ele está confortável na posição ou se está devidamente agasalhado, em caso de frio.

Agora, se o seu filho costuma chorar depois das refeições, apresenta inchaço abdominal ou estômago duro e costuma arquear as costas, mexendo constantemente os braços e as pernas, há um grande indício que seu filho esteja sofrendo de cólicas ou gases.

A dieta da mãe x cólica do bebê


Enquanto estiver amamentando a mãe poderá comer normalmente, mas caso ela observe que o seu bebê anda inquieto e com cólicas após a amamentação é um grande indício de que algo que esteja comendo possa estar causando esse desconforto em seu bebê.

Muitos pediatras sugerem que a mãe faça uma análise do que ela comeu nas últimas refeições. É muito importante esse processo de análise para identificar que possíveis alimentos estejam causando a cólica em seu bebê.

Ao relembrar os alimentos ingeridos, se possível, tente eliminá-las da sua dieta por alguns dias, assim a mãe poderá analisar se o seu filho melhorou ou não com tempo.

Em geral, os maiores culpados pela cólica nos bebês são os alimentos que geram gases, tais como, feijão, cebola, alho, pimentão, brócolis, repolho e os temperos fortes como o curry e o chili.

Deve-se evitar também as bebidas alcoólicas e diminuir o consumo e a ingestão diária de cafeína, pois o café como uma bebida estimulante, acaba deixando a criança mais agitado do que o normal.

Uma dica muito usada é a ingestão moderada de chá de hortelã, pois as substâncias do chá ajudam no alívio das cólicas quando consumido pelas mães que estão em fase de amamentação.

Segundo a Dra. Beatriz Beltrame, médica pediatra e coordenadora do Serviço de Pediatria do Hospital Privado de Braga, existem algumas técnicas que os pais podem fazer que ajudam a melhorar as cólicas do bebê.

Esses movimentos ajudam a liberar os gases intestinais e aliviam as cólicas do bebê de forma natural e muito eficaz.

Vale à tentativa!

5 técnicas para o alívio da cólica


1. Massagear a barriga do bebê: O ideal é massagear a barriga do seu filho com a palma da sua mão, sempre fazendo movimentos circulares em todo o abdômen.

Além do mais, a massagem ajuda a intensificar o vínculo emocional que o bebê tem com os pais, ajudando a contribuir para o estreitamento do laço familiar, além de aumentar o bem-estar do bebê.

Em breve abordaremos sobre os benefícios da massagem na vida do seu filho.

2. Aquecer o abdômen: Com uma bolsa de água morna coloque suavemente em cima da barriga do bebê. É importante verificar a temperatura da bolsa para não causar queimaduras na criança.

Caso você não queira usar uma bolsa de água morna com medo de queimaduras, você pode friccionar as suas mãos por meio minuto até que elas estejam aquecidas e coloque-as na barriga do seu bebê.

3. Empurrar a perninha do bebê em direção ao abdômen: Com o bebê deitado e de barriga para cima, empurre as duas perninhas simultaneamente em direção ao abdômen por algumas vezes, de forma a comprimir a barriga da criança.

4. Fazer movimentos circulares com a perninha do bebê: Uma boa técnica para amenizar as cólicas do bebê é fazer movimentos circulares, como se o seu filho estivesse andando de bicicleta por alguns minutos.

5. Colocar o bebê para arrotar: Sempre que você for amamentar o seu filho, coloque-o para arrotar. Essa técnica evita que o seu filho tenha fortes dores de barriga, seguidas de cólicas.

Na amamentação, os bebês geralmente engolem junto com o leite uma pequena quantidade de ar que acaba criando um desconforto intestinal.

Por isso, um bom arroto pode trazer um grande alívio para o seu filho!

É importante que você entenda que isso é apenas uma fase no processo de amadurecimento e adaptação do seu filho, porém se ao longo do tempo o problema persistir, procure o pediatra do seu filho para um diagnóstico mais preciso e detalhado.

Se você gostou das dicas que passei nesse post, compartilhe com o seu cônjugeamigos familiares.

Mostre aos pais que conhece ou aqueles que você julga precisar desse conhecimento. Ajude-nos a divulgar o nosso trabalho e a levar esse conhecimento para mais pessoas.

Seu comentário, like e compartilhamento patrocinam esse blog e serve como termômetro para saber se estamos no caminho certo ou se devemos mudar.

Referência: www.coliccalm.com/baby_infant_newborn_articles