Como evitar as birras

Tempo de leitura: 7 minutos

Segundo o dicionário, a palavra birra é a ação ou tendência para permanecer e/ou continuar de maneira insistente num mesmo comportamento, opinião, ideia ou teimosia.

É também o ato ou consequência daquele que contraria alguém por capricho, sentimento de antipatia, aversão, implicância, ou mesmo por necessidade.

Não é difícil ver atos de birras em crianças por aí, basta parar um minuto e observar as coisas a sua volta!

Seja no supermercado, quando uma criança quer algo que os pais não estão dispostos a comprar, nos parques ou em qualquer lugar que esteja passando.

Basta ter um grupo de crianças que você conseguirá ver manifestações de birras, choros ou insistências em algumas delas.

Aposto que você como mãe ou pai já tenha passado por inúmeras situações parecidas com o seu filho e posso imaginar que em determinados momentos você não soube muito bem o que fazer, certo?

Posso te garantir que isso é mais normal do que se imagina, inclusive passei por alguns momentos assim com a minha filha, até entender como deveria agir.

Por esse motivo, resolvi escrever esse artigo para compartilhar com você as minhas experiências pessoais e te ajudar a entender, a evitar e principalmente o que fazer quando o seu filho estiver agindo assim.

Vamos lá…

Por que as crianças fazem birra?


Antes de iniciarmos, você precisa entender que as birras estão associadas a diversos fatores, seja ele interno ou externo na criança.

Algumas delas são: cansaço, sono, fome, necessidade de chamar a atenção para algo ou mesmo por um sentimento de frustração.

Geralmente as birras acontecem porque as crianças ainda não tem maturidade para lidarem com os diversos desafios cognitivos, emocionais e sociais que ainda estão em desenvolvimento.

Elas ainda não dominam as habilidades necessárias para lidar com todas elas e é por isso que suas ações são seguidas quase sempre por choro, desobediência e muita teimosia.

Na verdade, em algumas situações as crianças estão apenas testando os nossos limites, tentando descobrir até onde podem chegar.

Como lidar com as birras?


Hoje eu consigo entender as necessidades mais básicas da minha filha.

Sei por exemplo, quando ela esta com sono ou quando esta com fome e sei também quando seu humor esta prestes a mudar.

Essa relação a essas necessidades, como a fome ou sono, é possível perceber quando se despende muita paciência e observância na relação com os seus filhos.

É um processo natural e uma habilidade que vem com o tempo!

Nesse caso não tem muito o que se fazer. Quando elas estão birrentas devidos as essas mesmas situações o melhor é atendê-las, ou seja, se estão com fome, dê o que comer!

Um ponto importante a ser levado em consideração, é que toda criança com uma rotina definida e com horários, dificilmente expressarão birras internas, pois antes que isso possa acontecer, você já terá saciado suas necessidades.

Confira o post onde falo sobre os benefícios da rotina na vida do seu filho.

A minha maneira de lidar e acabar com as birras


Sei que no início nada é tão simples e por inúmeras vezes eu errei e como continuo nessa senda de aprendizado e experimento, creio que ainda cometerei alguns erros.

O importante é ter a consciência de se fazer o melhor a cada dia, com amor e dedicação!

Há alguns anos atrás fui apresentado as seguintes palavras: coerência, consequência e constância e isso mudou bastante a minha forma de agir com as birras da minha filha.

A origem da palavra coerência, vem do latim cohaerentia, que significa conexão ou coesão.

A coerência é a forma como lidamos com uma determinada situação, dando um sentindo lógico a ação que tomamos.

Antes de qualquer coisa, você precisa entender que como pai ou mãe, você é o maior ou talvez o único responsável pela educação dos seus filhos.

Até hoje não tive conhecimento de nenhum método mais eficiente que a educação através de bons exemplos.

Sempre que você age com paciência, respeito e dialogo, mais seus filhos entenderão que a birra não é a forma mais correta e eficiente para se ter algo.

Vamos imaginar a seguinte situação…

Uma mãe ao ver seu filho fazendo birra, chorando e esperneando no meio da sala, se irrita e começa a gritar com o filho pedindo que pare.

Talvez a autoridade exercida por ela, faça com que o seu filho pare na hora, mas será que essa é a melhor atitude a ser tomada?

Pela minha experiência como pai, posso te garantir que não!

Quem sabe se a mãe ao invés de gritar, pudesse dizer ao seu filho que se continuar chorando dessa forma não conseguirá entender e consequentemente não poderá ajuda-lo?!

O intuito da ação é mostrar que não há comunicação dessa maneira e que se continuar chorando você não vai conseguir entender.

Ou seja, a consequência atribuída ao seu choro é a de não ter seu desejo ou anseio atendido.

Veja que a coerência seguida da consequência são atributos para uma educação retilínea, sem falhas e produz benefícios incalculáveis.

O que eu quero dizer é que por vezes imaginamos que as crianças não entendem o que estamos dizendo, mas eu posso afirmar categoricamente que elas entendem sim!

Elas sabem quando não aprovamos uma ação e quando ditas de forma certa tendem a diferenciar o que é o certo do errado.

Mas adianta fazer apenas uma vez? A resposta é NÃO!

Você precisa manter a constância para que toda vez que a birra apareça, os pais possam agir da mesma maneira.

Não existe nada mais complicado para a cabeça da criança que a falta de constância.

Você como mãe ou pai, deve acalmar seus medos, entender o seu problema e ajudar o seu filho a expressar da melhor forma possível as suas necessidades.

Com certeza não é um trabalho fácil, mas te garanto que se feito com amor, gerará inúmeros frutos na vida da sua família.

O que NÃO fazer quando os seus filhos estiverem fazendo birras?


Para terminar,  gostaria de elucidar 3 coisas que NÃO se deve fazer quando seu filho estiver fazendo birras, são elas:

1. Nunca ceda aos chiliques do seu filho.

Se a criança estiver frustrada por causa de algo que não pode ter, não ceda aos seus caprichos. Caso o faça, estará aumentando a possibilidade que as birras aconteçam novamente no futuro.

Se você ceder, só vai ensinar ao seu filho que espernear é um bom jeito de conseguir o que quer.

2. Mantenha a calma e o controle da situação

Nesse momento de descontrole emocional do seu filho, a última coisa que ele precisa perceber em você é que não esta sabendo lidar com a situação.

Falar calmamente e de forma pausada ajudará o seu filho a entrar na mesma sintonia que você, portanto a calma e a paciência são umas das principais causas para o entendimento e compreensão do seu filho.

3. Em hipótese nenhuma bata no seu filho

Muito se fala sobre esse assunto, mas honestamente nunca vi uma criança aprender através do medo ou da dor.

Ao longo desses anos venho educando a minha filha sem precisar bater e a cada dia comprovo a eficácia do dialogo e amor na construção da relação com a minha filha.

Se você gostou desse material, compartilhe com o seu cônjuge, amigos e familiares. Ajude-nos a divulgar o nosso trabalho.

Se você quiser enviar seu próprio relato, contando a sua história de como fez para lidar com as birras, envie um e-mail para contato@educapais.com ou clique aqui.

Teremos o prazer em ler e aprender com a sua experiência!

Quem sabe não compartilhamos sua experiência no próximo post?! 🙂